segunda-feira

Livro x filme: Cidade dos Ossos

Livros X filme, tem o intuito de fazer uma breve resenha de comparação entre a adaptação para o cinema e o seu livro de origem/inspiração.


O Livros X filme de hoje, vai falar da série “Instrumentos Mortais – Cidade dos Ossos” (filme e livro, ambos do mesmo título). Que eu estava DOIDA para trazer a analise para cá. Não deixem de conferir.
Primeiramente, eu queria deixar bem claro, que eu sai muito satisfeita do cinema. A adaptação foi muito bem feita e ao meu ver, o filme foi bem fiel ao livro. Claro, algumas modificações aqui, outras ali, mas vamos deixar isso para abordar no fim da postagem.

Gostei muito do resultado. Para mim, tudo funcionou muito bem. Foi ótimo ver como os demônios ficaram, pois confesso que ao ler o livro tive uma grande dificuldade em imaginá-los. Fiquei feliz também com a forma como Clary vê os símbolos, o instituto ganhando vida, os efeitos das transformações, os atores escolhidos para os papeis. Muita coisa que eu imaginei, foi ganhando vida e era inevitável não ser transportado para dentro do livro.


Assim como no livro, o filme é bem intenso e as cenas são bem rápidas, com diversas reviravoltas uma atrás da outra. Destaque para Jamie Campbell Bower que ficou excelente como Jace, conseguindo trazer o lado “sarcástico” do personagem muito bem. Quando vi a foto da atriz Lily Collins para interpretar a Clary, confesso que fiquei com receio. Mas ela mandou super bem e combinou muito com a personagem.  Os irmãos do silencio também foi algo que me fez vibrar na cadeira do cinema, pois quando eu li, ficou bem difícil pra mim imaginar tudo. E ver ganhando vida, foi demais.


As cenas de romance entra Jace e Clary, ficaram muito parecidas com o livro. E fiquei muito satisfeita com a cena do aniversário de Clary, bem fieis. O triangulo Jace, Clary e Simom, os ataques de ciúmes de Alec e as declarações de Simom para Clary, também fora fieis ao original.

Mas como toda adaptação (por isso o nome!!) tem suas mudanças, algumas também foram feitas. E vou destacar aqui, somente a que me chamou muito atenção e que de certa forma, não me agradou No momento em que Hodge  entrega o cálice para Valentim, tudo foi bem diferente do livro. O que deveria ser Instituto/casa do Valentim se tornou apenas o Instituto. O que ficou bem estranho, pois o Instituto é um lugar sagrado. E sendo assim, não deveria ter como entrar demônios, lobisomens e afins. Como explica isso produção?

E nossa, vou ter que deixar a minha revolta (mínima, mas revoltante) aos diversos spoilers que o filme contou, do restante da saga. Quando vi essas duas cenas, fiquei tipo “wtf?”. Primeiro, Saimon ser mordido por vampiros (oi, isso acontece no livro?) e após, já sair sentindo “efeitos”, como por exemplo: não precisar mais usar óculos. Não teve como não entendermos o mega spoiler que largaram. E outra cena (que me deixou pé da vida), foi à frase que Hodge disse a Valentim, quanto a contar uma mentira de que eles são irmãos. Isso não acontece no livro!! E pela amor, como que eles largam um spoiler desse??? :O
Estraga toda o enredo dos filmes e livros.

E claro, eu senti falta da moto do Jace. Sim, daquela que funciona a energia demoníaca, voa e foi roubada dos vampiros. Não daquela “sem graça” que aparece no final.

De uma forma geral, o filme foi muito bem produzido e fiel ao livro (tirando os spoilers, claro! u.u). Com cenas de grande produção e efeitos. Que com certeza agradou aos fãs do gênero. E eu não vejo a hora, de pode ir conferir Cidade das Cinzas, nas telonas!



Placar final: livro 1 x 1 filme

Kamila Raupp

Um comentário:

  1. Bom dia Kah :)
    Como você está?

    Acredita,que não li o livro e muito menos vi o filme ? :(
    Mas vou tentar ler (ainda este ano) kkkkk

    Bacana o post comparado ambos >.<
    Beijos e tenha uma excelente semana

    Rimas Do Preto

    ResponderExcluir