domingo

Resenhas da Pâm: A Princesa que Enganou a Morte


A princesa que enganou a morte
Texto e adaptação: Sonia Salerno Forjaz
Editora: Aquariana
Nota: 2/5

Sinopse: Nesta seleção de narrativas indianas, verdadeiros contos de fada são recontados, transmitindo parte da riqueza cultural do Oriente. Contos de caráter épico, alegórico ou folclórico revelam - em meio às diferenças - fortes semelhanças com tramas e personagens que conhecemos no Ocidente.

            Um livro totalmente diferente de tudo que já havia lido, trás como tema base para o livro contos mágicos indianos. A série Contos Mágicos traz para o jovem, contos tradicionais de antigas e diversas civilizações, desvendando o imaginário literário, ensinamentos e personagens próprios de diferentes povos e culturas. O leitor observa códigos de ética e de disciplina, que espelham a memória e a diversidade do homem e do mundo.
Esses contos tradicionais revelam heranças culturais coletivas baseadas nas vivencias humanas. Com teor mágico, eles revivem lendas, mitos e fabulas que desvendam nossos sentimentos mais profundos – sejam eles amor, ciúmes, rivalidade, rejeição, dor e morte – ritos de passagem que nos transformam e amadurecem.
            Em A princesa que enganou a morte, há a seleção de narrativas indianas que são verdadeiros contos de fada, transmitindo parte da riqueza cultural do Oriente. São contos de caráter épico, alegórico e folclórico que revelam fortes semelhanças com enredos e personagens que conhecemos no Ocidente. Foram e são o berço de inspiração que muito nos ensinam sobre a natureza humana.
            Confira abaixo um trecho de um dos contos, cujo nome é O nascimento de Bharata:

“Há muito tempo, muito tempo atrás, o rajá Dushyanta, homem de grande valentia, saiu para uma caçada levando consigo um hóspede nobre, muitos cavalos e elefantes. Ambos, sem temer as profundezas da floresta, ali mataram um grande numero de animais selvagens. Com sua longa espada, o rajá atingiu todo animal que ousou se aproximar. Tigres e leões foram flechados. Elefantes, aterrorizados, bateram os pés com estrondo. Veados velozes tentaram escapar e pássaros, gritando, elevaram-se no ar." 

Pamela Moreno Santiago

Um comentário:

  1. As vezes é bom fazer algo diferente e ler algo diferente fiquei com vontade de ler.

    Bjs

    ResponderExcluir